Missão Paz divulga dados sobre atendimentos em 2019

  • Post author:
  • Post category:Eventos
Missão Paz divulga dados sobre atendimentos em 2019

A fim de compartilhar com nossa comunidade como foi o ano de 2019 para a Missão Paz, publicamos aqui um resumo sobre os atendimentos realizados em diferentes setores. Confira: 

Resumo de relatório de atendimentos na Missão Paz em 2019

Presença das coletividades

Em 2019, a Missão Paz cedeu espaço para que diferentes comunidades migrantes realizassem reuniões, celebrações e eventos. Foi registrado um total de 27120 pessoas, sendo 17005 bolivianos, 2037 latinos em momentos interculturais, 1691 paraguaios, 1398 filipinos, 1372 peruanos, 936 brasileiros, 781 colombianos, 503 italianos, 328 chilenos, 264 maleses, 218 haitianos, 157 marfinenses, 149 togoleses, 135 burquinenses, 81 guineenses e 65 equatorianos.

Atendimentos individuais

A Missão Paz contabilizou atendimento a 5236 migrantes de 60 nacionalidades diferentes ao longo do ano. Essas pessoas podem ter passado por um ou mais setores de serviço da Missão Paz. Dentre os atendimentos individuais, destaca-se a presença de comunidades latinas que totalizam 4494 pessoas, representando 85,8% do total de atendidos, incluindo argentinos (43), bolivianos (857), brasileiros (58), chilenos (26), colombianos (139), cubanos (66), equatorianos (25), dominicanos (8), guatemalteco (1), haitianos (1745), paraguaios (599), peruanos (228) e venezuelanos (702).

Já dos países africanos, houve presença de Angola (176), República Democrática do Congo (78), Guiné-Bissau 941), Marrocos (39), Burkina Faso (38), Nigéria (35), República do Congo (35), Camarões (34), África do Sul (31), Guiné Conacri (24), Costa do Marfim (17), Togo (17), Serra Leoa 912), Senegal (12), Moçambique (9), Mali (8), Somália (7), Mauritânia (3), Sudão (3), Gana (3), Gabão (2), Guiné-Equatorial (2), Uganda (2), Cabo Verde (1), Gâmbia (1), Libéria (1), Líbia (1), Namíbia (1) e Egito (1).

De outras partes do mundo, houve Filipinas (46), Síria (18), Bangladesh (6), Iraque (5), Turquia (4), Índia (4), Afeganistão (3), Espanha (3), França (2), Polônia (2), EUA (1), Geórgia (1), Itália (1), Japão (1), Líbano (1), Paquistão (1) e Portugal (1).    

Centro Pastoral e de Mediação dos Migrantes (CPMM)

Eixo Saúde

O Eixo Saúde realizou em 2019 o total de 1505 atendimentos para 812 pessoas. Destas, 488 eram mulheres e 324 eram homens. Houve uma média de 125 atendimentos por mês, sendo abril o mês com maior número (159) e janeiro o com menor (56).

Eixo Trabalho

A partir da metodologia para inserção laboral via mediação pela Missão Paz, em 2019 foram contratados nos termos da CLT 443 migrantes por 149 empregadores distintos. O total de migrantes participantes nas palestras interculturais que receberam orientações sobre o mercado de trabalho brasileiro e seus direitos foram 1057. Já do treinamento para empregadores, participaram 182 pessoas. Houve ainda um total de 25 visitas às empresas para verificação das condições de trabalho a imigrantes.

Documentação

O setor de documentação da Missão Paz realizou ao longo do ano 4779 atendimentos a migrantes e refugiados de 52 nacionalidades distintas. A comunidade com maior número de atendimentos foi a haitiana, com 1694 entradas. Em segundo lugar, consta a comunidade boliviana, com 825 atendimentos, seguida pela venezuelana e paraguaia, com 603 e 458 atendimentos, respectivamente. A seguir, o número completo de atendimentos por nacionalidade: Haiti (1694), Bolívia (825), Venezuela (603), Paraguai (458), Peru (213), Angola (176), Colômbia (139), Rep. Democrática do Congo (78), Brasil (58), Argentina (41), Guiné-Bissau (41), Marrocos (39), Burkina Fasso (38), Nigéria (35), República do Congo (35), Camarões (34), África do Sul (25), Equador (25), Guiné Conacry (24), Filipinas (21), Costa do Marfim (17), Togo (17), Cuba (14), Chile (13), Serra Leoa (12), Senegal (12), Moçambique (9), República Dominicana (8), Mali (8), Somália (7), Síria (5), Iraque (5), Uruguai (5), Bangladesh (4), Turquia (4), Índia (4), Mauritânia (3), Sudão (3), Gana (3), Afeganistão (3), França (2), Gabão (2), Guiné-Equatorial (2), Uganda (2), Espanha (1), Cabo Verde (1), EUA (1), Gambia (1), Itália (1), Líbano (1), Libéria (1), Líbia (1), Namíbia (1).

Jurídico

O setor jurídico realizou 349 atendimentos, sendo 174 para homens, 173 para mulheres e 2 para pessoas que não quiseram declarar seu gênero. Foram 49 nacionalidades atendidas, sendo em maior número Haiti (61), Bolívia (47), Filipinas (38), Venezuela (23) e Angola (15). Dentro dos atendimentos, foram feitas solicitações de 14 áreas jurídicas distintas, incluindo demandas de direito migratório (151), trabalhista (45), documentação (45), cível (30) e família (27).

Capacitação e Cidadania

O setor foi responsável pelo encaminhamento 569 alunos para os cursos de língua portuguesa em nível básico I ou básico II. Destes, 133 foram auxiliados com vale transporte, de forma que pudessem comparecer às aulas.

Serviço Social

O setor proporcionou 1210 atendimentos a 950 pessoas diferentes ao longo do ano de 2019. Foram atendidas demandas de famílias e de indivíduos (inclusive crianças, adolescentes e idosos), todos em situação de vulnerabilidade social. Além dos migrantes e refugiados, também foram atendidos brasileiros, em especial da região do Glicério.

Centro de Estudos Migratórios (CEM)

Visitas guiadas com estudantes

O CEM recebeu o total de 1514 pessoas em suas visitas guiadas em 2019. O público atendimento é configurado de estudantes, professores e pesquisadores de diversos graus de escolaridade (do ensino básico a pós-graduação). Destaca-se o interesse de variadas áreas, incluindo Comunicação Social, Arquitetura, Psicologia, Serviço Social, Pedagogia e Enfermagem. Houve uma média de 126 pessoas participando por mês das visitas guiadas.

Diálogos do CEM

Ao longo do ano, o CEM realizou 9 eventos abertos chamados “Diálogos no CEM”, cuja proposta é aproximar a comunidade acadêmica e movimentos sociais da realidade dos migrantes no Brasil, provocando uma troca de saberes e experiências para a comunidade que acompanha o trabalho da Missão Paz. Dentre os temas explorados pela perspectiva das migrações, constam as relações com a mídia, educação, identidades, serviço social, precarização do trabalho etc. Os eventos foram transmitidos pela Rádio Migrantes e pelas páginas do Facebook da Missão Paz e da Revista Travessia, além de contar com público presencial.

Eixos Transversais

Comunicação

A Missão Paz contribuiu com a elaboração de pautas em diversos veículos de comunicação, nacionais e internacionais, em 2019. No total, foram 298 aparições na mídia registradas em nosso clipping. A Missão Paz foi consultada como referência em pautas sobre fluxos migratórios na América, políticas públicas para migrantes, celebrações religiosas de migrantes, datas comemorativas sobre o tema da migração no Brasil e no mundo, o dia a dia da vida de migrantes e refugiados, além de questões de trabalho análogo a escravidão (em especial na indústria têxtil), tráfico de pessoas e xenofobia.

Advocacy

O setor de advocacy e incidência política participou de 219 reuniões e encontros com entidades da sociedade civil, poder público e parceiros ao longo do ano. A atuação fora da cidade de São Paulo se deu, no território nacional, em Brasília (DF), Curitiba (PR), Campinas (SP), Porto Alegre (RS), Canoas (RS), Florianópolis (SC), Boa Vista (RR0, Pacaraima (RR), Manaus (AM) e São Carlos (SP). A presença internacional do advocacy da Missão Paz se deu em Cuernavaca (México), Buenos Aires (Argentina), Washington D.C. (EUA) e Genebra (Suíça).